O ligamento cruzado posterior, se localiza no centro do joelho entre os côndilos fêmures e o platô tibial. Tem função de impedir que o joelho se desloque para trás.

As lesões do LCP não são tão frequentes como o LCA, pois normalmente estão ligadas a traumas de grande energia e em alguns casos de torções complexas.

São mais comuns em acidentes motociclísticos e por vezes, automobilísticos. O uso do cinto de segurança diminuiu a incidência deste tipo de lesão.

Ainda existem algumas controvérsias ligadas ao LCP. O diagnóstico, a conduta terapêutica, e as técnicas cirúrgicas que podem ser realizadas.

O diagnóstico é dificultado, pois normalmente se trata de traumas de alta energia com outras lesões pelo corpo, sendo o joelho deixado para segundo plano. Lesões isoladas do LCP , por vezes não dão clinica evidente. O diagnóstico por imagem (RNM) é dificultado por nem sempre mostrarem com clareza a lesão, sendo confundida com a lesão do LCA. Nos exames de joelhos crônicos fica ainda mais difícil, pois a bainha do LCP muitas vezes simula a presença do LCP.

Quanto ao tratamento: conservador ou cirúrgico? Algumas lesões isoladas são assintomáticas, com o individuo vivendo normal sem restrições, inclusive jogando futebol profissional. Outro tem lesões associadas, como o canto póstero lateral, levando a translação posterior e rotação externa, mostrando deformidade desagradável durante a mobilização do joelho.

Tenho indicado o tratamento cirúrgico em grande parte dos casos, principalmente os agudos, na tentativa de minimizar os desgastes ocasionado com os anos. Utilizo a técnica de dupla banda com os tendões flexores e reconstrução do canto póstero lateral com o tendão semitendineo contralateral.